Macnica DHW - Newsletter Macnica DHW - Newsletter


SEMICONDUTORES MAXIM

Fazendo a ponte entre o analógico e o digital

    Dentro do portfólio de componentes eletrônicos distribuídos pela Macnica DHW ressalta a importância dos semicondutores de alta performance da Maxim Integrated. Fundada há mais de 30 anos na Califórnia (Estados Unidos), a Maxim tem o objetivo de oferecer soluções integradas analógicas e de sinal misto que agreguem valor aos produtos de seus clientes. Atualmente, a empresa possui mais de 6.400 produtos desenvolvidos que servem os mercados industrial, de comunicações, de consumo, médico, medição de energia, automotivo e de computação.

De acordo com o gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da Macnica DHW, Fernando Andrade, todo o foco da Maxim vai para a área mista entre o mundo analógico e o digital. “Eles produzem dispositivos com funções integradas que têm a capacidade de complementar o trabalho do chip FPGA (digital), servindo como uma espécie de ponte entre este meio e o analógico”, diz o gerente de P&D.

Por exemplo, se um equipamento precisa medir a temperatura ambiente, a leitura será feita através de um sensor analógico. É aí que entra o trabalho do dispositivo da Maxim, que recolhe a informação analógica para convertê-la em digital, fazendo o repasse ao chip FPGA, que comanda o equipamento.

Outro exemplo do funcionamento dos dispositivos da Maxim dentro de uma placa é a alimentação de energia elétrica.  “A energia da rede elétrica não entra diretamente no chip FPGA. A tensão precisa ser regulada e quem faz essa conversão são os dispositivos da Maxim, que oferece diversas soluções para reguladores de tensão”, explica Fernando.

Em termos genéricos, a tecnologia desenvolvida pela Maxim permite que haja comunicação entre o meio físico (através da leitura analógica) com o digital. O cabo de rede de internet é um bom exemplo.

“O cabo é o meio físico que conecta um roteador a um PC. Para enviar o sinal de internet, é necessário que o FPGA ‘converse’ com esse cabo, o que é feito com a instalação na placa de um dispositivo da Maxim que faz a intermediação das linguagens dos dois meios. Assim, o chip FPGA monta um pacote e envia para o PC através do dispositivo da Maxim, que ‘conversa’ nas tensões elétricas para transitar a informação pelo cabo até chegar ao PC.

 

Maxim no dia a dia das pessoas

Por não conhecerem como funcionam internamente os diversos aparelhos utilizados atualmente, as pessoas nem se dão conta da forte presença da Maxim em suas vidas. De acordo com o engenheiro de aplicação da Macnica DHW, Gustavo Leão Moreira, por desenvolver tecnologia em diversas frentes, a Maxim faz parte de vários equipamentos.

“A empresa tem, por exemplo, uma presença marcante na área de automação comercial, já que mais de 40% das transações comerciais com cartão de crédito no mundo passam por processadores seguros Maxim”, esclarece Gustavo.

Os processadores de segurança são dispositivos usados para garantir a segurança nas transações comerciais e impedir fraudes em equipamentos como leitores de cartão de crédito e caixa eletrônicos, entre outros.

Mas o leque de alternativas é muito mais amplo. O engenheiro de aplicação da Macnica DHW destaca os diversos circuitos integrados Maxim utilizados em interfaces de comunicação, as fontes de alimentação (DC-DC), os conversores analógicos-digitais e os Real Time Clocks (RTCs).

“No caso da fonte de alimentação, quando a energia entra em um laptop, ela normalmente tem valor constante de 19 volts. No entanto, as tensões necessárias para cada dispositivo interno (LCD, processador, carregador de bateria) são muito variadas e quem faz esse trabalho de adaptação é a fonte da Maxim”, diz o engenheiro.

Os conversores analógicos-digitais (ADC-DAC), como o próprio nome já diz, é um dispositivo capaz de converter informação analógica para digital e vice-versa. Já as interfaces de comunicação permitem que um computador possa interagir com o meio externo. Ou seja, faz com que um circuito converse com o processador e com seus periféricos, normalmente localizados de centímetros a quilômetros de distância – como, por exemplo, as interfaces USB, RS232/485, PCIe, VGA, HDMI, fibra óptica e outras.

Os RTCs, por sua vez, são circuitos integrados que fornecem data, hora, minutos e segundos com exatidão. Eles estão presentes em diversos equipamentos, como o computador doméstico, que mesmo desligado mantém o relógio funcionando através de sua pilha interna.